Conhecendo as diferenças entre redes públicas e permissionadas e quando utilizá-las

Com o surgimento da tecnologia blockchain um dos grandes desafios enfrentados pelas empresas que gostariam de adotá-la é manter suas informações em sigilo visto que as redes públicas (via Internet) são acessíveis a qualquer um que tenha interesse.

Além da questão relacionada ao sigilo, as redes públicas exigem muito mais capacidade de processamento (custos altos e variáveis) uma vez que é um ambiente completamente desconhecido e ninguém confia em ninguém.

Diante desses e de outros desafios que surgiram plataformas blockchain que são utilizadas conectando pares conhecidos, que de alguma forma confiam um no outro visto que já realizam transações entre eles, ou seja, redes que exigem uma pré-autorização (permissionadas) para ser parte dela.

Caso a sua empresa deseje ter os benefícios da tecnologia blockchain mantendo suas informações disponíveis apenas para as partes envolvidas do seu negócio a recomendação é pela utilização de uma rede permissionada.

E para agilizar a adoçã o da tecnologia blockchain e seus benefícios é que foi criada a solução 2Ledger (http://www.2ledger.com). A partir da criação de uma conta em nossa plataforma e de nossa API em alguns instantes você estará apto a aproveitar todos os benefícios da tecnologia sem a necessidade de um grande esforço.

Não perca tempo e experimente agora mesmo. Será um prazer ajudá-los a tornar o seu negócio mais seguro e confiável.

Anúncios

Tornando votações mais seguras e transparentes com Blockchain

Um processo de votação, seja ele para a eleição de um governante ou para a tomada de decisões, não costuma ser uma tarefa fácil. Frequentemente envolve muita desconfiança e por vezes exige auditorias custosas ou até mesmo a necessidade de realizá-la por mais de uma vez.

Um processo eleitoral confiável exige algumas características fundamentais tais como: sigilo do voto, todos os votos auditáveis e votos imutáveis, ou seja, ninguém poderá adulterar o voto de ninguém.

Por mais robusto e transparente que o processo seja normalmente é centralizado em alguma entidade ou grupo de pessoas. Dessa forma é impossível garantir a licitude do processo visto que bastaria o interesse de um grupo pequeno de pessoas para que o seu resultado possa ser adulterado.

É aí onde a tecnologia blockchain entra trazendo novas possibilidades para o processo eleitoral. Considerando que uma rede blockchain legítima envolve diferentes participantes que de forma independente mantêm uma cópia de tudo que ocorre é impossível que alguém sozinho consiga adulterar algum voto visto que todos os votos não estão sob o seu domínio e que qualquer tentativa irá tornar o seu nó inconsistente e, portanto, inválido.

Para a realização de uma eleição utilizando a tecnologia blockchain é possível criar um ativo indivisível para cada processo de votação com a quantidade inicial de votantes. Para cada votante é criado uma carteira anônima ou não, a depender da necessidade, que recebe um voto a ser transferido para a opção escolhida, ou seja, cada votante consegue realizar apenas um voto e a carteira designada para receber os votos estará sempre com a quantidade de votos recebidas.

Esse modelo permite ainda a auditoria em tempo real sobre quantos já votaram, quantos faltam votar e que as opções votadas receberam apenas votos de carteiras únicas, ou seja, um votante não votou mais de uma vez.

Se necessita realizar um processo de votação e gostaria de utilizar a tecnologia blockchain para dar mais transparência e segurança para o seu processo a plataforma 2Ledger (http://www.2ledger.com) é o que procura. Criando uma conta gratuitamente em instantes conseguirá criar seu ativo, suas carteiras e começar a realizar seus votos (transferências de ativos entre carteiras), tudo isso por meio de nossas API e sem a necessidade de gastar horas para aprender a tecnologia.

Experimente e caso tenha dúvidas sobre esse processo será um prazer ajudá-lo.

 

Marcio Alexandre